sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Adeus ano velho, feliz ano novo!!!



São 20h do último dia de 2010. Ana Clara parece ter pressentido a "festa" aqui em casa e resolveu não dormir. De jeito nenhum. Está agora na sala brincando com o papai, enquanto minha mãe termina de fazer a comilança com a qual daqui a pouco vamos nos esbaldar.

Por ter uma criaturinha aqui ao meu lado super acordada me pedindo atenção sem parar, não vou poder escrever o que tinha planejado para meu último post do ano.

Um belíssimo 2011 para todos nós, com muita saúde, paz, harmonia, dança, música e felicidade!

Um lindo 2011 repleto de partos naturais e humanizados, maior conscientização dos profissionais da saúde e das gestantes que irão parir. Por que eu acredito que é a partir daí que o mundo pode melhorar!

Paz no coração.

Ano novo, visual novo. Mamãe de cabelos curtíssimos e papai sem cavanhaque.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Entre lulas, damascos e zumbis


Final de ano, férias, natal, festas, presentes, papai noel...

Às vezes me sinto uma mãe super relapsa e insensível. Não dou muita trela pra essas coisas, sabe?
Quer dizer, mais ou menos, né? Bom... vamos aos poucos:

  • Férias? Sim, gosto muito! Ainda mais agora, em que férias significa dividir os cuidados da filhota com o papai e os avós. Consequentemente significa poder, de vez em quando, tirar um sonequinha a tarde enquanto outros cuidam da pequena.

  • Presentes? Adooooro! Ganhei muitos, muito mais do que esperava. Mas me sito péssima quando ganho e não posso retribuir. Sendo uma mãe semi-desempregada, sem renda fixa não posso me dar ao luxo de presentear a todos. O único felizardo foi o maridón mesmo. Nem pra filha eu comprei um presentinho (convenhamos que ela ainda é um bebê e não entende muito sobre natal e papai noel, além do que os avós, tios e amigos nunca deixam de comprar alguma coisinha, né?). E, além disso, o Rapha gastou uma grana no curso que ainda vou fazer em meados de janeiro... Então, ficou assim mesmo: ganhei um monte de presentes lindos e não dei nada pra ninguém!! Desculpe aí galera, mas espero que ano que vem seja diferente.

  • Festas? Hummm... é bem legal festar mas... naõ sou baladeira. Não mesmo. Não gosto de barulho, som alto, voltar às 5h da madruga tonta de bera e dormir sem tomar banho. Esse tempo já foi. Agora tenho uma filhinha linda pra criar que não me acompanha na balada. Gosto quando a festa começa cedo e acaba cedo, que ainda dá tempo de chegar em casa, tomar um chá, um banho e dormir tranquilamente sabendo que não vou estar estragada no dia seguinte (parece papo de velho, né? pois é... e eu só tenho 27 anos...).

  • Natal? Este ano foi na casa dos sogros do meu irmão. Teve papai noel e tudo! Confesso que eu fui sem muita vontade - por conta da Ana. Vou explicar: temos uma rotina do sono aqui em casa e que quase nunca saímos dela. Ana Clara janta às 18h, toma banho às 19h e está babando de sono às 19h30. (obs: ela não dorme de jeito nenhum fora de casa!!!). Levar ela à uma festa à noite significaria ter que aguentar um bebê de 20 meses chorando de sono no colo da mamãe aqui até voltarmos pra casa. Chegamos a cogitar a idéia do Rapha ficar em casa pra cuidar dela. Mas resolvemos arriscar e... SURPRESA!! Ela ficou acordada até 1h da manhã (que foi quando chegamos em casa depois da festa e que colocamos ela imediatamente para dormir). A pequena realmente nos surpreendeu: brincou a noite inteira, não chorou e até deu beijo no papai noel! Foi ótimo! Mas exageramos quando resolvemos levá-la junto na noite seguinte (no jantar dia 25 na casa da minha sogra). Aí judiamos da pequena, tadinha... Chegamos não tão tarde quanto na noite anterior, mas chegamos às 23h. Ela estava acabada! Mas também se comportou super bem, brincou bastante com o primo Bernardo e se divertiu à beça com a cozinha que o primo ganhou de natal.

  • Papai Noel? Não gosto muito dele e dessa chantagem que usam para as crianças se comportarem e comerem toda comida do prato senão não ganham presente do tal Noel. Porém, lembro da minha infância, que minha mãe nunca fez ninguém se fantasiar para fingir ser o barbudo que entregava os presentes. Claro que ela sempre dava um jeito de convencer a gente de que era ele que tinha deixado os brinquedo debaixo da árvore de natal, mas nós nunca vimos ele descendo a chaminé lá de casa. E lembro de gostar muito desta imagem que ficava na nossa cabeça do velho misterioso. Cada família tem suas histórias, , seus jeitos e suas manias. Fico pensando como serão os próximos natais aqui em casa, e como vamos tratar de falar pra Ana Clara sobre o velhinho de barba branca que não dá presentes pra quem não se comporta durante o ano...

Agora... sobre o título da história: A lula foi um dos pratos do jantar na casa da minha sogra. Meu cunhado cozinheiro preparaou um cardápio MARAVILHOSO para nos presentear no jantar de natal. E estava uma delícia!!! Acho que o Rapha vai falar mais sobre isso num próximo post (né, amor?? rsrs).

Damascos? Odeio! Mas descobrimos que a filhota ADORA!! Só com jantar e comilanças chiques de festas natalinas para descobrirmos isso... rsrsrsrs...

E o zumbi? ahh... isso é coisa do Rapha... mas não pude deixar de registrar...


video

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

desprendimentos...

Para algumas mães isso pode parecer uma besteira, mas sair de casa e deixar minha filha aos cuidados de outras pessoas (senão o pai) não é uma coisa muito fácil pra mim.

Algumas vezes precisei deixar a Ana com a minha mãe. Não é uma coisa assim de outro mundo, mas a Ana tem uma dificuldade imensa de dormir com outras pessoas. Ela dorme no berço dela, mas quem tem que colocar ela lá sou eu ou o Rapha, se for outra pessoa ela faz aquele escândalo! Certamente o escândalo acontece com os pais aqui também, porém nós (geralmente) conseguimos lidar bem com os chororôs dos nossos filhos... Já os avós... Eles não conseguem ficar ouvindo o netinho chorando, logo dão um colinho e tudo mais que o bebê pedir.

Outro dia tive que deixar a Ana na casa da minha tia (que não teve filhos e nunca precisou trocar fraldas de bebês). Eu precisava sair assim, uns 40 minutos, mas deixei a filhota de fraldas limpas e um lanchinho já "engatilhado" para dar uma tepeada, caso ela chamasse muito pela mamãe. Não foi um bicho de 7 cabeças, mesmo porque a minha saída foi há 2 quadras do prédio da minha tia.

Mas eu devo confessar que não é algo super natural pra mim sair tranquilamente quando preciso deixar a Ana com outras pessoas. Eu confio nestas pessoas (aliás, é minha família, ainda não contratei uma babá e nem pretendo!), o problema sou eu. Eu preciso me desprender e confiar na minha PRÓPRIA FILHA. Muitas vezes eu não acredito nela, que ela vai ficar bem se não for comigo ou com o Rapha.

E nossos filhos nos surpreendem a cada dia. Ontem precisei deixar a Ana com minha irmã Carol (que também não tem filhos e não tem o costume de trocar fraldas). Mas a filhota se comportou maravilhosamente bem. Estava feliz e não chorou e nem chamou pela mamãe.

E, junto com a Ana, sinto que cresço e amadureço como mãe.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

O pediatra não manda em mim!

Estava eu bisbilhotando uns textos na internet, quando achei este aqui numa comunidade do orkut da qual participo há tempos - Soluções para noites sem choro. Quem postou o texto na comunidade foi a Andréia Mortensen - mulher da qual sou super fã! Vale a pena conhecer um pouco sobre esta super mãe, mulher mamífera e profissional! O texto não é dela, mas foi ela quem traduziu.


O pediatra não é seu chefe!

Fonte: clique aqui

Por Christie Haskell e Jeanne Sager em Outubro de 2010.

Tradução: Andréia Mortensen

Quando um assunto como a segurança do bebê na cadeirinha de carro é discutida, frequentemente se ouvirá alguém falando que seu pediatra mandou fazer o oposto do que as informações de segurança dizem. Em alguns casos as recomendações do pediatra são até ilegais e ainda assim a mãe usa a frase "Meu médico mandou fazer assim" como razão para agir desse modo. E a mãe até se recusa a olhar para os fatos que estão sendo apresentados a ela!
Por que? Isso é algo que sempre me pergunto, muitas e muitas vezes.

Por que temos um pediatra e lhe demos autoridade de decidir praticamente tudo sobre nossa família, educação incluída?
Existe um poder mágico que dita que devemos automaticamente obedecer todos os desejos e comandos do pediatra??


Agora, deixe-me começar dizendo que a formação dos pediatras incluem estudos extensos (universidade e residência) que são incrivelmente difíceis, e que sou grata que há pessoas que se especializam em saúde infantil. Mas não acho que todos pediatras frequentaram uma aula sobre lactação ou uma aula sobre segurança da cadeirinha de carro, mas mesmo assim eles se sentem de alguma forma qualificados para dar conselhos autoritários nesses temas.

Pense nisso... seu dentista pode saber sobre dentes, mas eles te mandam para o um ortodontista para aparelhos, certo? Bem, seu pediatra pode entender o básico de nutrição, mas uma consultora de amamentação é a pessoa que realmente entende de amamentação- pois no final das contas amamentação é sobre o SEU corpo, não do seu bebê. E esse é só um exemplo.

Para tentar entender esse problema, cito abaixo alguns conselhos reais que algumas pessoas receberam de seus pediatras:

• Coloque seu bebê de 10 meses para frente na cadeirinha do carro porque seus pés encostam no assento.
• Coloque xarope de chocolate na mamadeira de um bebê de 5 meses para 'fazer ele gostar' da mamadeira porque a mãe o desmamou.
• Dê papinhas para o bebê de 3 meses porque o bebê era muito grande/muito pequeno/mamava muito/não mamava o suficiente.
• Mande a mulher ordenhar os seios após o nascimento do bebê para "ver se tem colostro" e dê esse colostro numa colherzinha para o bebê antes de permitir que ela coloque o bebê no peito.
• Mande a mulher furar a orelha do recém nascido para evitar o risco de alergia a níquel no futuro.
• Coloque o bebê de 2 meses amamentado exclusivamente no peito num esquema rígido de mamadas a cada 3 horas para ver se 'cura' seu refluxo.
• Encha seu bebê de 15 meses com manteiga, creme e sorvete, não porque ele está perdendo peso ou parou de ganhar peso, mas porque o medico disse que ele era desproporcional.
• Dê um tapa na mão do bebê de 10 meses que toque a tomada, porque 'eles só fazem isso para te irritar.'
• Diga a mãe que seu filho de 2 anos que ainda não consegue usar uma tesoura não terá controle motor fino no Jardim de Infância.

Entende o que quero dizer?

O fato é que seu pediatra não é um psicólogo infantil, especialista em cuidados e educação ('parenting'), consultor de amamentação, ou técnico em cadeirinha de carro (ao menos que eles tenham especialidades múltiplas). Se você tem um problema em especial, consulte o especialista- é o que ELES estudaram. Seu trabalho como mãe é trabalhar com seu pediatra em assuntos médicos, como seu parceiro nos cuidados com seu filho.
No entanto, ainda é sua responsabilidade se educar sobre o assunto. Não, você não quer anular todos comentários do seu pediatra com o Dr. Google; entretanto é ótimo para você se informar antes de conversar com seu médico e outros especialistas sobre suas preocupações.

Você também precisa de alguém que ou concorda com você em alguns tópicos polêmicos ou que pelo menos respeite suas escolhas. Isso é ponto chave para achar seu pediatra ideal.

Pediatras não são iguais, suas formações diferem! Separe os bons dos ruins

A tarefa de achar um pediatra para seu bebê não é tão fácil como abrir a lista de medicos do plano de saúde e escolher um que seja mais próximo a tua casa. Todos eles fizeram faculdade de medicina, mas, assim como outras especialidades, nem todos pediatras tem a mesma formação.

Para encontrar um pediatra para seu bebê a dica é marcar uma entrevista com antecedência.
Eles ganharão o trabalho de tomar conta da pessoa que lhe é mais preciosa para você pelos próximos 18 anos. Eles podem fazer um esforcinho extra para conseguir isso.

Parece que você estará criando uma relação de adversários começando dessa maneira, mas é exatamente assim a prática padrão nos EUA. A maioria dos pediatras estão preparados e esperam essa entrevista inicial. Algumas perguntas importantes e que são relevantes para as mães que tem filosofias em ambos extremos dos temas mais polêmicos:

• Qual sua posição sobre vacinas?
• Você é aberto a homeopatia?
• Você acha que infecções de ouvido sempre devem ser tratadas com antibióticos?
• Você oferece amostras grátis de Leite artificial para as mães?
• Quanto tempo em média dura cada consulta?
• Quais são as alternativas em horários não comerciais?
• Há separação das crianças doentes das saudáveis na sala de espera?
• Você visita os recém nascidos no hospital?

Outra dica é perguntar para outras mães.
Há uma razão para que empregadores peçam referências antes de contratarem um novo funcionário!

Finalmente, é importante queo pediatra esteja atualizado. Por exemplo, no dia seguinte que a Associação Americana de Pediatria (AAP) anunciou sua nova recomendação de que bebês devem ficar virados para trás nas cadeirinhas de carro até 2 anos de idade ao invés de 1, minha filha tinha uma consulta com o pediatra. Eu imprimi a página da AAP com essa recomendação e levei, mas meu pediatra já sabia disso e o artigo estava inclusive em todas salas de consulta, e ela fez questão de mencionar e reforçar esta recomendação.

______________________________________________________

E então... o pediatra do seu filho manda em você?

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Não basta ser pai...

... tem que participar!!


tem que slingar...

com qualquer modelo de sling...

fazer as tarefas domésticas co o bebê no colo...

passear...
deixar a filha tocar o violão...


tem que assistir "bob esponja" com a pequena na cama...

tem que emprestar o fone de ouvido para a filha tirar foto...

tem que levar no parque...

tem que ir no estúdio tirar foto e ainda esboçar um sorrizinho...

tem que deixar de ver o futebol de domingo para brincar de casinha com a filhota...
(ainda bem que o Rapha não assiste futebol... e se assistisse, provavelmente nem estaríamos juntos...)


video

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Nossa velha nova Ana Clara...

Hoje foi o primeiro real corte de cabelo da pequena. Não levei máquina fotográfica para registrar o momento e foi até bom, pq só iria conseguir registrar muito chororô.
Sim. Ela chorou, o tempo todo. Mas não pediu para sair da cedeirinha (ou melhor, "carrinho" daqueles clássicos de salão de beleza onde cortam cabelo de criança). Ficou lá, bem paradinha e chorando. Foi rápido. O moço que cortou o cabelo dela foi bem legal: não ficou conversando muito, concentrou-se e fez o trabalho super rápido. Pra Ana deve ter parecido uma eternidade, mas logo que terminou, ela parou de chorar e voltamos logo pra casa para mostrar o novo "visu" pro papai.





antes...


depois!

Imaginem: um bebê de cabelo super curtinho, sem brinco e de vestido! Hahahahaha... temos que admitir que ficou com cara de menininho. Mas para nós vai ser sempre a nossa princesa!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Dentes, chiliques e passeio no bosque

Desde sábado de manhã Ana Clara está cheia de chiliques... Mas só fui descobrir o motivo no domingo a noite na hora do banho, quando a pequena, num chororô daqueles, abriu o bocão e voilá: um dente ENOOORME apontando. Me senti a mãe mais desnaturada do mundo. Mas tudo bem. Ana Clara dormiu a base de chá de erva doce com Camomilina C.
Rapha e eu até conseguimos dar uma saída para encontrar uns amigos e colocar o papo em dia.

Mas no dia seguinte os chiliques continuaram... Estou tentando ser a mãe mais compreensiva e paciente, mas tem horas que é difícil. Ela bate, se joga no chão, grita... Estou com a paciência no limite. Não sei mais o que fazer a não ser mantralizar bastante: "vai passar".

Fora isso... Ana Clara está muito engraçada. Cada dia mais falante e o mais interessante: tem passado longos períodos brincando sozinha. Ontem fomos no parquinho do Bosque Papa João Paulo II e com o sol muito forte, estendi uma kanga na grama e deixei ela brincando com umas panelinhas que a vovó Iara deu a ela de Dia das Crianças. Ela adora. E ficou 20 minutos (cronometrados) brincando sozinha com as tais panelinhas: colocava dentro umas folhinhas secas, umas graminhas e mexia tudo com um gravetinho. Fiquei admirando minha filha naquele momento e não tenho palavras pra descrever o que senti. Felicidade plena, talvez.
as panelas...

Um tempinho depois chegaram as primas Daniela e Alice, com os pais Daniel (irmão) e Luciana (cunhada). O dia inteiro ontem foi delicioso.

brincando com a vovó Clelia...

castelo de areia a 4 mãos...

odeia areia nas mãos... a "neura" da limpeza...

enquanto isso a Alice curtia um colo da mamãe

hora de ir embora...

irmãos... será???

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Ana Clara ainda no balde

video

Desculpe pela qualidade de aimagem... a luz no banheiro é fraquinha e a câmera não é lá das melhores para fazer vídeo...

Mas vale a intenção de gravar esse momento tão gostoso que é dar banho na filhota...

Beijo filha! Te amo!

sábado, 23 de outubro de 2010

Volto logo!


Logo quando? Pois é... não sei...

Estou em falta com o blog, eu sei... mas não vou ficar aqui me justificando.
Pode ser que volte amanhã, daqui uma semana... não sei. "Logo" é relativo.
Então. Até logo. =)
beijos.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

SLINGAR E DANÇAR inscrições abertas!!

Encontros para mães e/ou pais com bebês
Para aprender a usar o sling
Conhecer seus benefícios
Dançar com o bebê no sling usufruindo de um momento de prazer e relaxamento
Que tal?
Vamos??

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Motivo para comemorar, precisa?

Hoje começamos o dia assim... café da manhã na cama em família!
Se estamos comemorando algo? Sim. À felicidade de sermos uma família repleta de saúde, alegrias e muito amor.
Lembro, quando eu e meus irmães éramos pequenos, que minha mãe nos presenteava com uma bandeja de café na cama em todos os nossos aniversários. Pra nós, era assim que sempre começávamos o dia: com "parabéns" da mamãe na cama e um café com frutas e pão fresquinho.
Depois que comecei a namorar com o Rapha, ele eventualmente me presenteava a manhã com um belo café na cama. Com aquelas cestas de café da manhã bem caras? Não! No meu aniversário? Não. Não havia motivo sem ser simplesmente pro querer comemorar mais um dia feliz.
Depois que a Ana nasceu, eventualmente levávamos o café na cama, mas com a Ana ainda pequenina, quando ainda só mamava no peito. Hoje resolvi arriscar (digo "arriscar" pelo receio da bagunça que a pequena poderia fazer na nossa cama). Mas foi tudo bem tranquilo. É claro que caiu um pouquinho de café no edredon, mas nada de mais. Nada que deixasse nosso momento matinal menos agradável.

Amo vocês.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Musicalização Infantil

Oficina de Musicalização no Espaço AOBÄ 2008
Turma de 3 a 4 anos
Eu grávida de uns 4 ou 5 meses

Pra quem não sabe, sou formada em Licenciatura em Música pela UFPR. Exerci a profissão durante alguns anos e até o final da gestação da minha filha Ana Clara. O Rapha também é músico e professor. Assim Ana Clara conviveu intensamente com a música desde seu desenvolvimento dentro da minha barriga.

Oficina de musicalização no Espaço AOBÄ 2008
Turma de 0 a 2 anos - Eu grávida de uns 4 ou 5 meses

Já com seus 2 meses (junho de 2009), levei a pequena para as aulas. Voltei à sala de aula não mais como professora, mas como mãe. Não deu certo. Aquele bebê tão familiarizado com harmonias e tonalidades diferentes não curtiu muito as aulas de musicalização. Em agosto do mesmo ano (2º semestre de 2010), resolvi voltar às aulas de musicalização da Ana. Outra vez não deu certo: a soneca da pequena era BEM no horário da aula. Então, no 1º semestre de 2010 resolvi nem matriculá-la, pois ela continuava com a soneca da manhã bem no horário da aula.

Agora, no 2º semestre (depois de muita reflexão), decidi insistir. Já fomos em 3 aulas e parece estar dando certo. Ana Clara está com 1 ano e 5 meses e por isso vejo a necessidade dela ter contato com outras crianças (o que acontece muito pouco aqui em casa, já que não temos muitas crianças na família. A Ana tem 3 primos, mas os vêem com pouca frequência. Além disso ela ainda não vai pra escola).


Senti que agora conseguimos frequentar as aulas sem o "problema" da soneca matinal (que ainda existe, mas ela dorme antes da aula, que é só às 10h30).

04 de set 2010 - Musicalização Infantil UFPR
Turma de 1 a 2 anos - sábado - professores: Diana e Guilherme



Espero que agora dê certo.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

um post sobre zoologia...


As vezes , eu me sinto um sabiá: grande, gordo e protetor !!!!!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Fases de transição

Tanto eu quanto a Ana estamos passando por fases de transição.

Para este feriadão que passou aí eu tinha planejado fazer algumas coisas, pois estava contando com o Rapha aqui em casa pra ficar com a Ana e eu poder estudar, trabalhar e colocar as coisas em dia. No fim das contas, não consegui fazer NADA. Minha mãe foi viajar e até cogitei a possibilidade de ir com ela, mas só de pensar no chororô da Ana durante a vigem, já me desanimei (já viram bebê que ODEIA andar de carro? pois é... aqui a situação é bem assim). Por fim, achei até que teria aproveitado mais o feriado se tivesse ido viajar...

Enfim. Fazer o quê, né?! Até que tivemos momento bem legais, mas não consegui descansar e muito menos trabalhar (ficou meio contraditório isso, né? rsrs).
Umas das coisas que eu queria ter feito era atualizar o bendito vício virtual aqui, mas só consegui fazê-lo agora, que a pequena resolveu dormir e o marido também (babando no sofá). O pior, sem inspiração alguma, mas lá vai:

Voltando a fase de transição. Uma das coisas que aconteceu nestes últimos dias foi que Ana Clara pareceu não querer mais dormir de manhã. No começo não estávamos entendendo muito bem aquele chilique todo, depois resolvemos aceitar que nossa filha está crescendo e querendo aproveitar ainda mais a vida e todos os momentos, ficando acordada por muitas longas horas... E como é uma transição de 2 sonecas para 1, achamos que até ela não entende muito bem esta mudança. E concluimos que os chiliques podem ser por ela não saber o que fazer em tanto tempo acordada. O que nos obriga a ser mais criativos e ocupar este precioso tempo em atividades divertidas. Haja criatividade! Mesmo assim ainda não cheguei a pensar em colocar na escola (escolinha, como a maioria das pessoas costuma se referir à escolas de educação infantil - confesso que não sou chegada nos diminutivos)...

Então... Dá-lhe passeios!! A pé, de carrinho, de sling... No mercado, na rua XV, na praça, no Passeio Público, no shopping, no parque... E quando chove? é choro na certa, Ana Clara vai ser baladeira (ou não, se depender do pai dela... rsrsrs - brincadeira, viu?! amor!).

Apesar da transição e dos chiliques, a nossa princesa está cada dia mais linda.
Querida demais, carinhosa e cheia de beijos e abraços na mãe, no pai, na vovó, nas bonecas... É divertido ver que agora ela começa a inventar as próprias brincadeiras, sempre imitando o que fazemos com ela. Assim, ela brinca de esconder objetos e nos chama para procurá-los. Ela também canta para as bonecas e coloca elas pra dormir, com coberta e tudo; dá de comer pegando os farelinhos de pão e colocando na boca da boneca. É lindo de ver.

Voltando a correria. Quando sobrar um tempinho eu volto e posto mais sobre as novas de Ana Clara...

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

aprendendo coisas novas...

A pequena anda nos surpreendendo cada dia mais...
Aprendendo as coisas na velocidade da luz!! Pois, quando a gente menos espera, ouve-se uma risadinha lá da cozinha e...




Ana Clara aprendeu a ascender a luz do fogão... O que é que eu faço agora?? #vidademãe

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

dormindo pouco... dormindo muito... e sempre preocupados!!


Ana Clara sempre teve uma briga feia com o sono. Ou melhor, com o adormecer - permanecer dormindo não é o problema.

Esses dias cheguei a dar uma volta completa no Passeio Público, cantando e ninando ela no sling... Até que dormiu. No dia seguinte tentei fazer o mesmo (como minhas pernas aguentaram eu não sei) e nem isso adiantou: ela coçava os olhos, bocejava, choramingava, mas fechar os olhos e dormir: nem pensar!! Desisti e resolvi aceitar a situação.

Aí, quando menos se espera, a pequena resolve nos deixar mais preocupados: agora pelo inverso. De um dia para o outro ela resolveu dormir. Assim, sem chiliques e choramingos O "problema": dormiu 4 sonecas durante o dia:

7h - acordou, mamou, brincou, tomou café da manhã
8h30 - dormiu
10h - acordou, brincou e lanchou
10h30 - dormiu
12h - acordou, almoçou
12h30 - dormiu
14h - acordou, brincou um pouquinho, tomou uma mamadeira de leite
14h40 - dormiu
16h30 - acordou, brincou bastante (sozinha e bem tranquila), fez um lanchinho
18h30 - jantou
19h15 - banho
19h30 - dormiu para o sono da noite...
Prestei muita atenção em qualquer sintoma de algo mais grave... Que nada!! Ana Clara acordava feliz e tranquila, cheia de risadas e bom humor. Não perdeu o apetite e nem teve febre.
Mesmo assim, sentindo que nossa filha estava bem, confesso que Rapha e eu ficamos um tanto confusos e preocupados. Tentei ligar para a pediatra, mas não consegui falar com ela. Continuamos atentos e achando tudo aquilo meio esquisito.

Isso foi ontem. Hoje ela já passou mais tempo acordada na parte da manhã. Estou bem mais tranquila. E tentando aceitar a idéia de que isso seja um dos primeiros sinais de uma certa independência dela. Tentando aceitar de que aquele bebezinho está crescendo... é bem difícil pra mim isso, tá? não ria!!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Um dia um pouquinho diferente...

Sempre gosto muito das terças-feiras... Por vários motivos, entre eles é que nas terças tenho yoga (não vivo sem!!). E outro motivo é que nas terças a diarista não vem aqui em casa e, então, fico com a Ana sozinha praticamente o dia todo!! A casa fica silenciosa e é um dos dias que me propûs a sempre brincar muito com a pequena. Então, nesses dias, sempre que possível, faço passeios com a Ana para ela curtir: saímos sem horários para voltar, vamos num parquinho, ou simplesmente saímos para olhar o movimento na rua (e não só passeios do tipo ir ao mercado, na farmácia, na panificadora...).

Mas, até então, eu SEMPRE saía com ela enrolada no nosso tão indispensável sling!! E, quando eu digo "sempre" é porque eu realmente NUNCA havia saído sem ele.

E hoje, como segue nosso ritual, enrolei ela no pano e fomos!! Primeiramente deixei duas tesouras, que precisama ser afiadas, numa sapataria aqui perto de casa (não lembrava da última vez que deixei algo para afiar, mas achei meio caro o que eu paguei... R$ 5,oo por tesoura... é isso mesmo?? enfim...). Depois fui numa costureira deixar umas calças da Ana para fazer a barra (rsrsrsrs... nunca pensei que eu, algum dia, iria mandar arrumar umas roupas tão minúsculas... mas é que as calças que eu comprei pra Ana acho que eram para modelos mirins, pois eram demais de compridas...).

Saindo da costureira, a Ana pediu para sair do sling... Então, deixei as tais roupinhas lá, tirei a pequena do pano e voltamos até em casa andando nós duas. Peguei dinheiro para pagar a afiação das tesouras (R$ 10,oo... não é caro?? eu achei... ou eu tô muito fora do contexto...). Com toda a animação da Ana em andar pelas calçadas do centro da cidade, deixei o sling e saímos (pela primeira vez!!) sem ele...

Pode ser a coisa mais normal do mundo para a maioria das mães sair carregando seus filhos no colo, sem sling... Mas eu, sinceramente, não sabia (até hoje) o que era isso.

Fui para a aventura de cuidar de um bebê que mal acabou de aprender a andar e já não quer saber de dar as mãos para sua mãe nas calçadas em pleno centro da cidade. Posso?

Fui pegar as tesouras, mas ainda não estavam prontas... Então resolvi curtir a animação da pequena em passar por todas as vitrines, lojas, farmácias, padarias e acenar com aqueles dedos miúdos um "tchau" para todos que sorriam para ela... (ai que vontade de morder!!! linda!!)

Até que, então, passamos pelo salão de beleza onde eu sempre vou e resolvi pedir para a cabelereira tentar cortas as pontinhas do cabelo da Ana... (o primeiro corte de cabelo, propriamente dito!!) Ela não chorou nem reclamou (ficou sentadinha no meu colo, claro!!), mas queria, por tudo, ver o que a moça fazia que mexia tanto nos seus cabelos... Conseguimos. Cortamos só um pouquinho, e não tiramos os caxinhos tão lindos e adorados por mim e pelo papai.

Passeamos mais um pouco olhando pessoas, cachorros, vitrines - sempre acenando...
Eu havia me programado de leva-la a um parquinho para ela brincar, mas o dia estava mutio frio e ventando... e ela começava a demonstrar sinais de sono...

Peguei as tesouras, voltamos para casa. Fizemos um lanchinho da tarde e ela dormiu.
O Rapha chegou, e eu fui para a yoga.

Dia simples, dia frio, tinha tudo para ser um dia como qualquer outro... mas com a Ana Clara, nunca é. Sempre tenho dias cheio de coisas para contar...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

sling salvando as cólicas da mamãe!!

Pois é... neste exato momento cá estou eu naqueles dias de regras e o dia não colaborou comigo. Voltou o frio típico curitibano e as minhas cólicas estão dando sinais de vida...
A Ana estava com sono e o Rapha (que é quem faz ela dormir no berço sem ela fazer muito chororô) saiu pra trabalhar... Mamãe com cólicas e sem muita paciência de fazer a filha dormir... Bom, aí resolvi enrolar a pequena no sling e logo ela estava dormindo...

Com a pequena dormindo enroladinha e quentinha no sling, esquentou a barriga da mamãe que sarou das cólicas!!

Esse sling é tudo de bom mesmo!! Santo remédio!!

domingo, 8 de agosto de 2010

Ana Clara volta da "abdução" dos alienígenas...

Como bem explicou o Ismael, Ana Clara também fora sequestrada pelos ETs nestes últimos dias!! Mas eles se compadeceram da situação aqui em casa e a trouxeram de volta.

Vou explicar: há alguns dias a situação aqui em casa estava terrível (como postei num post anterior). Descobri então que os ETs sequestraram a nossa filha durante uns dias e deixaram, no lugar dela, uma outra menina cheia de chiliques e chororôs (não tinha troca de fralda, hora da soneca e banho que escapassem dos gritos e chiliques da pequena).
Mas com o final de semana, chegou junto o sol e nossa Ana Clara de volta.

Abduções à parte... Depois de muitos dias trancafiados em casa por conta do frio terrível, a energia acumulada de ansiedade, tédio e angústia não poderia trazer bons momentos e harmonia por aqui... Além disso, descobri que eu tinha em mim uma tensão a mais por conta dos hormônios que antecedem aqueles dias da mulher... Para aumentar a desarmonia da energia familiar, os dentes da Ana parecem estar explodindo dentro da boquinha dela que fazem sair uma cachoeira de baba, além da coceira que deve dar na coitadinha...

UFA!! Acabou.

No sábado o nosso deus Sol veio nos ofercer um dia cheio de luz, calor e vitamina para todos (ou a maioria) dos Curitibanos que devem ter saído de suas tocas para lagartear nas praças, parques, rua XV...

De manhã fomos (Ana e eu) na casa do meu irmão, Daniel. A Lu (cunhada) teve que dar uma saída, enquanto eu, meu irmão e nossas respectivas filhas Ana Clara e Daniela, fomos andar de bicicleta até uma pracinha... Como é bom lagartear... E lagartear ao mesmo tempo em que se observa a filha explorando o mundo catando pedras e folhinhas no chão? É bom demais!!!

Lá pelas tantas Ana Clara coçava o olho e a orelha demonstrando sua exaustão e MUUUITO sono (não era pra menos, já eram umas 11h e ela tinha acordado às 6h30 e não tinha tirado nenhuma soneca até então). Enrolei ela no sling e ela capotou. Fiquei com ela durante quase 1 hora com ela babando na minha blusa e não me cansava de olhar sua boquinha entreaberta e sentindo aquela respiração de sono profundo e tranquilo... Logo que ela acordou, voltamos pra casa - e a Daniela foi junto -, almoçamos e logo emendamos mais outro passeio: vovó Clelia foi com as netinhas no Passeio Público enquanto eu ia resolver umas coisinhas (entre elas, comprar - de última hora - o presente de Dia dos Pais para o Rapha #prontofalei).

Confesso que fiquei apreensiva e com o coração meio apertado: será que a vovó daria conta de cuidar das duas netinhas delicadas em pleno parquinho LOTADO de crianças?? Deu um medinho, mas tive que confiar na vovó. Foi tão tranquilo que o passeio durou umas 2 horas... E vovó Clelia confessou ainda que cuidar dessas duas meninas é uma tranquilidade!! Eita, que orgulho!!

Voltamos pra casa. Presente comprado, meninas (mortas de) cansadas, felicidade plena por uma dia como esse. Eram apenas 19h e as duas pequenas já estavam entregues aos braços de Morfeu. Daniela nem banho conseguimos dar, dormiu antes. E dormiu conosco, nem levamos pra casa de volta.

Domingo amanheceu com o mesmo sol do dia anterior. Já veio como presente de Dia dos Pais. São 7h30 da manhã quando Ana Clara anuncia o começo do dia. Aí levantamos todos (Ana, Rapha, eu e Daniela). Troquei a roupa da Dani, logo troquei a fralda da Ana e então demos o presente (comprado de última hora e com muito carinho, diga-se de passagem) para o papaizão. Meu irmão veio buscar a filhota Daniela e nós (Ana, Rapha e eu) fomos para a casa da vovó Iara. Tomamos café, Ana Clara brincou com o primo Bernardo, dormiu enroladinha no sling com a mamãe, passeamos no sol durante a sonequinha, acordou, almoçamos... Logo depois o Rapha saiu um pouco com a Ana e eu fiquei conversando com a sogrinha (adoro!!).

Voltamos pra casa, dei um lanchinho da tarde pra Ana (aí já eram umas 16h) e emendei mais um passeio enquanto o Rapha tirava uma sonequinha restauradoura de noites mal dormidas...

Brincou e logo viemos pra casa novamente. Acordamos o papai e ficamos um tempão brincando na cama (é porque agora a Ana já quer virar cambalhota!!). Entre cambalhotas, mamadas, fotos, risadas, abraços e beijos babados sentimos uma felicidade sem tamanho que nos presenteou em silencio em nossos corações: vimos nossa filha crescendo e nos alegrando com sua saúde perfeita e tive (ainda mais) certeza de que sou uma mãe e mulher abençoada.

Mais uma vez, a tempestade passou e ganhamos mais dias lindos, ensolarados cheios de alegrias e novidades de nossa filha.

Agora, vocês vão me dar licença que eu preciso curtir o maridão (que ainda é Dia dos Pais), e voltar a mais dura realidade daqueles dias de mulher... (conhecido também como estar de lua, hastear a bandeira, chico, bandeira vermelha, estar de panos, interditada, mar vermelho, purgação do mês, regras...)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

1 ano e 4 meses... de CASTIGO! Pode??

Ana Clara sentada no case de guitarra do papai e com sua ecobag

Amanhã Ana Clara completa 16 meses de vida!

E este último mês ela passou por um salto de desenvolvimento e muita coisa mudou por aqui.

A começar pelo friiiio que tem feito que não tem permitido nem uma saída no mercado, um passeio no parquinho, na praça... Assim, Ana Clara está ficando irritada, ansiosa e entediada de ter que ficar trancafiada em casa há 1 semana!!

E nesses últimos dois dias o clima ficou ainda mais pesado por aqui. Ana Clara tirou a gente do sério e tivemos que apelar para as dicas da (blééé) Supernanny - o cantinho do castigo. Eu não queria, eu juro, mas não vimos outra saída.

Tudo começou quando fui pegar um copo d'água na cozinha, e quando voltei a (sapeca) Ana Clara estava correndo em cima do sofá. E, o pior, com aquele sorrizinho de "estou aprontando todas, mamãe, e estou achando bem legal". Então eu dei um sermão e expliquei que aquilo estava errado e que ela não poderia mais faze-lo pois eu tenho medo que ela se machuque e tal...
Logo depois, quando fui colocá-la no berço para a soneca da terde - depois de enrolá-la no sling, dançar bastante e ela completamente dormindo e babando no meu peito - ela abriu o berreiro e não teve "Cristo" que fizesse ela dormir mais. E eu sabia que ela estava com sono e que ela precisava continuar dormindo. Minha paciência foi chegando ao fim: tirei ela do berço e coloquei-a sentada na poltrona do quarto e conversei bastante: expliquei que eu estava cansada e que ela estava com sono e precisava dormir, pois isso poderia atrapalhar o sono dela a noite, e que minha paciência havia acabado e que eu precisava de um tempo para respirar. Falei a ela que, como ela já havia perdido o sono, nós iriamos para a sala, mas ela deveria brincar sozinha e me deixar respirar tranquila para recuperar minha paciência. E não é que ela entendeu? Brincou sozinha e tranquilamente durante 2 horas!! Só vinha me solicitar quando queria pegar algo em algum lugar onde não alcançava ou quando queria me mostrar algum brinquedo ou algo diferente.
Chegou a hora do jantar e foi um sossego - algo que nos últimos dias tem sido bem difícil: ela recusa a comida, chora, bate no prato, cospe... Desta vez ela comeu tudo, bem quietinha e comportada.
Mas, quando eu menos esperava ela aprontou mais uma: foi o tempo de eu ir ao banheiro fazer xixi, que ela puxou a toalha da mesa o suficiente para alcançar a mamadeira e, quando a pegou, espalhou o leite da mamadeira por todos os brinquedos no chão, pelo sofá, no piano... Aí eu surtei!! (pois ela havia feito A MESMA COISA no dia anterior e eu já tinha dado uma bronca nela). Não vi outra saída senão colocá-la de castigo. Deixei ela sentada no corredor - onde eu poderia vê-la estando em qualquer outro lugar da casa - e expliquei o motivo do castigo e que ela só poderia sair dali quando eu mandasse. Ela ficou ali bem quietinha, séria e com cara de choro e assustada. Fui firme e me comprometi com o castigo. Deu tempo de preparar todo o banho dela, esquentar a água, separar o pijama... E, finalmente fui tirá-la de lá. Expliquei tudo novamente, que eu estava triste por ela ter feito aquilo e, sem eu pedir, ela me deu um abraço bem forte e um beijo bem babado. Dei banho, troquei a roupa e ela bem boazinha, sem chiliques. Na hora de colocá-la no berço ela chorou um pouquinho só e logo dormiu. A noite toda.
Hoje ela acordeou bem, comeu bem, já dormiu sem (muito) chilique e chororô...
Ainda estou pensando sobre a questão do castigo... Mas acho que não é tão ruim assim como eu pensei. É que ela anda aprontando todas e fazendo muito chilique... e a minha paciência está no limite!!
Será que ela já está exigindo certos limites?? achei que isso só fosse acontecer mais tarde, beeem mais tarde...

sexta-feira, 30 de julho de 2010

ALICE!!


Nasceu Alice... mais uma luz que clareia nossas vidas!!

Deu um certo trabalho e uma canseira enorme na mãe dela (30 horas de TP). Mas está aí: linda, saudável, forte, cabeluda e mamando bastante!!

Parabéns Lu (mãezona guerreira) e Dani (o papai que já estava com a filhota mais nova amarrada na echarpe em poucas horas fora da barriga - lindo de ver!!)

E Ana Clara ganha mais uma prima linda!!

terça-feira, 27 de julho de 2010